Nas entrelinhas

stock-illustration-37340186-plana-com-sombra-longa-de-ar


O matemático L organizou um seminário sobre hidrodinâmica na universidade. Entre os participantes, vieram dois homens de uniforme, obviamente engenheiros militares, mas os dois não disseram uma palavra ao longo do seminário inteiro. Ao fim do seminário, enquanto L ia de roda em roda para conversar com os presentes, os dois militares se aproximaram de L e pediram ajuda. Um deles, o mais velho, mostrou umas equações e explicou que a solução do sistema de equações oscilava muito; depois perguntou a L como poderia alterar os coeficientes para deixar o sistema mais estável. L examinou as equações e por fim disse:

“Façam asas maiores.”

História apócrifa sobre o matemático russo Lev Loytiansky.

Gênesis, capítulo 1

 

stock-illustration-15867187-god-creates-adam-humorous-imitation


Acharam um antigo manuscrito hebraico com a história da criação da matemática! Eis o que diz:

“No princípio, enquanto criava os céus e a terra, Deus criou também a unidade e o contínuo. E disse Deus: haja um; e houve um. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro. Nos outros cinco dias, Deus criou os outros cinco inteiros positivos depois do um, dizendo pela manhã: Haja dois! E houve dois. Haja três! E houve três. Haja quatro! E houve quatro. Haja cinco! E houve cinco. Haja seis! E houve seis. E viu Deus que era bom o seis, pois era perfeito e era ainda a soma de três quadrados. E, visto que planejava descansar no dia seguinte, disse ainda Deus um pouco antes do pôr do Sol:

“1 é um número natural. Todo número natural x tem outro número natural como seu sucessor, coisa que posso designar por S(x), isto é, S(x) = x + 1. Para todo x, S(x) ≠ 1. Se S(x) = S(y), daí x = y. E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom, especialmente esse conjunto dos números naturais, que até os dias de hoje nunca mais parou de crescer.”

A garrafa sapiente

stock-photo-62902622-thermos


Num programa de auditório, um físico, um matemático, e um astrólogo tiveram de escolher a maior invenção de todos os tempos. O físico escolheu o fogo, que deu à humanidade controle sobre a matéria. O matemático escolheu o alfabeto, que deu à humanidade o primeiro passo em direção à álgebra. O astrólogo escolheu a garrafa térmica.

“Garrafa térmica?”, quis saber o apresentador do programa. “Por que uma garrafa térmica?”

“No inverno, ela mantém os líquidos quentes quentes. No verão, mantém os líquidos frios frios.”

“Sim, mas e daí?”

“Pense um pouco a respeito”, disse o astrólogo. “Como a garrafa sabe?!”